Multinacional é autuada por sua organização societária

Em sessão realizada no mês de janeiro, a 1ª Turma da 3ª Câmara da 3ª Seção do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (CARF) julgou recurso interposto por uma multinacional contra a cobrança de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

A autuação discute a estrutura criada pela empresa para comercializar seus produtos. De acordo com os autos, a parte industrial da companhia vendia suas mercadorias para uma empresa do mesmo grupo econômico, que revendia os produtos para os pontos de venda.

A contribuinte sustentou que essa estrutura é adotada internacionalmente pelo grupo, por ser um modelo de organização mais eficiente e não para reduzir os valores pagos a título de IPI.

Por sua vez, o Fisco considera que essa estrutura é criada com o intuito de reduzir o recolhimento de tributos, pois a companhia utiliza para a base de cálculo do IPI os valores dos produtos na saída da operação industrial, quando são vendidos para a operação comercial.

No julgamento, sustentou a Procuradoria da Fazenda Nacional que o valor utilizado é de cerca de um terço do valor em relação à saída do estabelecimento comercial, reduzindo significativamente o valor do imposto pago.

O relator do caso, conselheiro representante dos contribuintes, entendeu que a diferença entre os preços praticados nas notas fiscais da saída do braço industrial da companhia para a unidade comercial era muito grande, o que o levou a negar provimento ao recurso interposto.

Considerou que há uma simulação na divisão em duas empresas, motivo pelo qual a base de cálculo do imposto deveria ser o valor de venda da unidade comercial.

Outra conselheira, também representante dos contribuintes, abriu a divergência por entender que não havia simulação no caso e que esse tipo de separação é muito comum em companhias multinacionais. Para ela, as duas empresas existem.

Em que pese esse entendimento, por maioria de votos, foi negado provimento ao recurso da contribuinte.

Processo: 10830.727214/2013-31.

Fonte: Multinacional é autuada por sua organização societária – Notícia – CNF

http://www.noticiasfiscais.com.br/2017/02/15/multinacional-e-autuada-por-sua-organizacao-societaria/

Artigos recentes

22.Mai.2018

Pluriparentalidade

O conceito de família tem se transformado ao longo dos últimos anos. Por muito tempo adotou-se o modelo de pai, mãe e filhos como padrão, contudo, os grandes números de divórcios, uniões estáveis, pais solteiros, inseminações artificiais e tantos outros, acabaram trazendo novas figuras familiares. Por exemplo, hoje é possível encontrar [...]

Leia mais

27.Abr.2018

ACORDOS INTERNACIONAIS SUBSCRITOS PELO BRASIL PREVALECEM AO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR NAS RELAÇÕES DE CONSUMO EM TRANSPORTE INTERNACIONAL DE PASSAGEIROS

Por muito tempo residiu a discussão acerca da prevalência, ou não, das regras do Código de Defesa do Consumidor sobre os acordos internacionais subscritos pelo Brasil, em especial, sobre as convenções de Varsóvia e Montreal que versam a respeito do transporte internacional de passageiros. O Supremo Tribunal Federal, em julgamento plenário [...]

Leia mais
Notícias recentes

01.Jun.2017

MP 783/2017 - Programa Especial de Regularização Tributária

A nova medida provisória publicada na noite de quarta-feira em edição extra do “Diário Oficial”, trouxe, finalmente, um novo programa para que os contribuintes em débito com a União possam regularizar sua situação. Trata-se do Programa Especial de Regularização Tributária – PERT que prevê descontos que podem chegar a até 90% [...]

Leia mais

16.Mar.2017

INCLUSÃO DO ICMS NA BASE DE CÁLCULO DO PIS/COFINS É INCONSTITUCIONAL

Por maioria de votos, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), em sessão nesta quarta-feira (15), decidiu que o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) não integra a base de cálculo das contribuições para o Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade [...]

Leia mais
oconsultor
Quer receber nosso informativo?
Digite seu nome e e-mail